CONTATO

  • (49) 3323-5177
  • (49) 3323-2122
  • (49) 3323-0516

Destaque

Fotografia destaque

17/10/2017

Prefeito Luciano Buligon anuncia novo enxugamento da máquina. A partir de novembro serão efetuados cortes e revisão de convênios.

Últimas
da
Chape

Comentário Ivan Carlos

Notícia postada em 22/09

ASSUMIR AS LIMITAÇÕES. JOGAR PELOS RESULTADOS!

 

Perder para o Flamengo seria normal em qualquer situação. É preciso que isto fique claro, a diferença de times é muito grande. O que não pode acontecer são os resultados vexatórios! Estes mexem denigrem a imagem da Chapecoense no Brasil e no mundo. Por isso é preciso que o Emerson Cris e o Departamento de Futebol continuem cientes das limitações da Chapecoense. Nossa permanência na Série A depende de atitude, de forte marcação, de entrega para buscar cada ponto. E mais, depende do posicionamento e escalações. Joga o feijão com arroz, respeita os adversários e estará mais próximos de alcançar o objetivo principal.

Se tentar jogar de igual pra igual pode ter problemas até com os concorrentes diretos. Vamos parar de sonhar e jogar o nosso campeonato, na busca do nosso objetivo.  E atenção! Não se joguem pra cima da Ponte Preta. Eles também estão fora da Sul Americana e brigam pelo mesmo objetivo da Chape.

 

MUDANÇAS NO CATARINÃO?

 

Muitas são as especulações. Há quem cogite um Campeonato Catarinense disputado em um turno e trazendo de volta o mata-mata com oito classificados. Seria na prática as quartas de finais do Campeonato. Dois últimos já cairiam na primeira fase. Um novo estilo poderia premiar equipes sem séries no brasileiro. Calendário enxuto, sem desgaste e com preparação a partir de Novembro. Já os considerados grandes poderiam ter problemas devido ao calendário do ano anterior e, a obrigação das férias ao elenco.  Sejam quais forem as mudanças, que venham para melhorar o estadual. Tudo começa pelos estaduais no futebol brasileiro.

 

SUB-20 PREJUDICADO PELO CALENDÁRIO PROFISSIONAL

 

Foi um ano atípico para o futebol profissional de Chapecó. Entendo que o belo trabalho na base, especialmente no sub-20 sofreu por ceder peças importantes aos profissionais. Atenção, não estou condenando, foi necessário. Mas é preciso que se diga. Uma prova foi o rendimento do time na despedida do brasileiro diante do Fluminense. Não tenho duvidas, até pela sequência do trabalho, o ano que vem será o ano da colheita.  

 

LANCES:                                           

 

*Cada vez que a Chape perde o clima de pessimismo se instala em Chapecó.

*Não há tempo para lamentar derrotas. Vamos encher a Arena e empurrar o time para uma grande vitória diante da Ponte Preta.

*Como disse o Rui Costa: “Não precisa ir pelos dirigentes, vá pela Chapecoense”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Conteúdo disponível sob Licença Creative Commons     |     Desenvolvido por Infoway Soluções em Informática